Diógenes de Apolônia

(57) Diógenes de Apolônia, filho de Apolôtemis, foi um filósofo naturalista muito famoso. Segundo Antístenes recebeu lições de Anaximenes, porém foi contemporâneo de Anaxagoras. Deste último, Demétrio de Fáleron diz em sua Apologia de Sócrates que foi tão invejado em Atenas que quase perdeu a vida lá.


Suas doutrinas são as seguintes. O elemento originário é o ar. Os mundos são infinitos e o vazio é infinito. O ar, condensando-se e rarefazendo-se, gera os mundos. Nada passa a existir a partir do não-ser, e nada se resolve no não-ser. A terra é redonda e está firmemente posta no meio, depois de chegar à sua constituição segundo a revolução proveniente do calor e o congelamento proveniente do frio. As primeiras palavras de sua obra são as seguintes: "No preâmbulo de qualquer discurso parece-me necessário estabelecer-se um princípio irrefutável e fazer-se uma exposição simples e elevada."

DL, Livro IX, Cap. 9

Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.