Imperador Antonino


Antonino Pio (Antoninus Pius : 138 - 161), Imperador Romano



Tito Aurélio Fulvio Boionio Antonino nasceu em Lanúvio, em 19 de setembro de 86. Sua família era natural de Nîmes, na Gália Narbonense, mas seu avô e seu pai haviam ambos sido cônsules em Roma. O próprio Antoninus ocupou o consulado no ano 130 e foi posteriormente nomeado quatuórviro (um posto judiciário) na Etrúria e na Úmbria, antes de ser governador da Ásia (133/136). Existe um episódio famoso ligado a esse posto de governador: o sofista Polemão de Esmirna teria expulsado Antonino de sua casa. Em 25 de fevereiro de 138 ele foi adotado por Adriano como filho e sucessor, recebeu poder tribunício e imperium proconsular; quando Adriano morreu, em 10 de junho do mesmo ano, Antonino tornou-se imperador. Antoninus já era casado com Faustina I, antes de ser adotado por Adriano, onde tiveram 4 filhos, e três deles morreram, tendo sobrevivido sómente Faustina II.

Imperador Adriano


Publius Aelius Traianus Hadrianus, Imperador de 117 a 138 d.C.


Mais conhecido apenas como Adriano, foi imperador romano de 117 a 138. Pertence à dinastia dos Antoninos, sendo considerado um dos chamados Cinco Bons Imperadores.

Nascido em Itálica na atual Espanha, ou em Roma, na Itália, Adriano era descendente de colonos romanos domiciliados no Sul da Espanha e primo de Trajano, tendo sido nomeado por este para uma série de dignidades públicas que o fizeram aparecer como herdeiro presuntivo deste imperador. À época das guerras contra os partas, durante o reinado de Trajano, era governador da Síria.

Memórias de Jean Meslier, Primeira Prova

por Breno Lucano

A idéia de religião enquanto erro e mentira, além de dominação política, é o tema que norteia toda a primeira prova. Provas devem ser entendidas aqui por razões, motivos. Em todo o texto são criticados os homens que transformaram  leis e instituições humanas em leis divinas. Em outras palavras, Meslier critica o uso político da religião. Segundo o autor, apresenta-se geralmente como representantes de Deus, guardião de seus ensinamentos e juízes dos que Dele se distanciam. Assim, persuadem multidões e conquistam autoridade, obediência e privilégios.

Sobre o Dogmatismo

por Breno Lucano

Ao olharmos para filósofos como Sócrates ou Meslier, verificamos que ambos, usando métodos e motivos diversos, fazem a mesma coisa. Ambos desconfiam das opiniões das multidões, das crenças estabelecidas, assim como de suas próprias opiniões. Desconfiam do dogmatismo.


Bakunin, Hegeliano de Esquerda

por Breno Lucano

Por vezes, os nomes de algumas personalidades históricas transcendem as próprias personagens. Tornam-se folclóricos através de feitos que são recordados pelas narrativas orais, de geração em geração. Assim nasceram os personagens Nero, Alexandre, o Grande, Ivan, o Terrível, Bakunin. Bakunin, aliás, foi tão folclórico que foi responsabilizado por ações violentas nas manifestações de rua no Rio de Janeiro em 2014 (veja o artigo clicando aqui).

Bakunin militante, mas também errante. Nasce na Rússia, estuda na Alemanha, vive na Bélgica, Inglaterra, Suíça e França. Fomenta insurreições em Praga, Dresden, Lyon, Bolonha e em varidos lugares na Europa. Filho de uma família aristocrata russa, cuja família era proprietária de uma empresa de tecidos de algodão com mais de quinhentos funcionários.

Filme Porno na Praia, Pode?

Alguns, como eu, gostam de passar uma bela tarde caminhando à beira da praia, especialmente se deserta. E eis que, alguns metros à frente, nos deparamos com um set de filmagem. Mas não se trata de um filme de drama ou uma aventura; antes, um filme adulto. O ocorrido se deu na praia do Recreio dos Bandeirantes, na cidade do Rio. A notícia se espalhou em vários sites de notícias, como o do G1 (clique aqui e veja).

E o que parecia um simples passei se transfigura numa chuva de opiniões, muitas das quais de teor pouco amistosa. "É um absurdo!", dirão alguns. "E se houvesse crianças...", indagarão outros. Mas de que forma poderíamos traçar uma investigação filosófica sobre o tema?

Ciencia, Religião e Neo-Ateísmo

por Breno Lucano

Temos visto, especialmente no Brasil em função das discussões entre bancada evangélica e grupos sociais que requerem direitos civis, grave disputa teórica e política entre religiosos e ateus. Ou melhor ainda, neo-ateus. Se, por um lado, temos grupos que pretendem a teocratização das relações, por outro temos uma força que cresce gradativamente, á partir do Iluminismo, e que supõe movimento inverso. Desejam mais do que o Estado laico, desejam o estado ateu.

Como expliquei no vídeo do ateísmo - clique aqui para assisti-lo -, este trata-se de um movimento que cresce gradativamente com o decorrer dos séculos e começa a tomar repercussão no mundo das idéias a partir de Jean Meslier e La Mettrie, cruzando os grandes nomes de Holbach e Sade, além de Diderot. E, finalmente, explode com o nome de Nietzsche com o seu famoso 'deus está morto'. No século XIX entra em cena Comte, com seu aparato cientificista, que faz reflexões importantes no campo epistemológico e lança mão de um endeusamento do empirismo como único critério válido de conhecimento. Deus realmente morre nesse momento.