Sobre o Autor

Profundamente preocupado com questões humanitárias há muitos anos, ingressei no seminário São Francisco de Assis, em Ituporanga/SC, no ano 2005. Meu desejo era de prosseguir com minha contribuição  humanitárias no interior da Ordem dos Franciscanos, de onde eu poderia trabalhar com mais ênfase e nenhuma outra preocupação. Sendo obrigado a abandonar o projeto de ser um frade, retornei ao Rio de Janeiro e iniciei o que hoje chamo de Portal Veritas em 17 de dezembro daquele mesmo ano. Meu intuito era o de continuar meus estudos de filosofia - sempre incentivado pelos frades -, com a devida importância no ramo da ética, o que, certamente, me ajudaria nos trabalhos filantrópicos como norte das ações.

Entendo que a espiritualidade, qualquer que seja, pode contribuir positivamente na aventura humana no sentido de propor significado a um mundo que perdeu seu encanto. A espiritualidade, que alguns preferem chamar de religião ou simplesmente de filosofia de vida, possui esse objetivo: o de propor sentido ao mundo. Assim, pode-se encontrar a paz com o budismo, o conhecimento com o cristianismo, a serenidade com o judaísmo, a abnegação com o hinduísmo. Não importa o caminho, mas o fim.

Contudo, apesar de minha formação franciscana, tenho visto, especialmente nos últimos anos, importante reviravolta simbólica na sociedade. A busca de alguns logo se desdobra em fundamentalismo e dor para outros. Aquilo que poderia contribuir para a ajuda de muitos contribui para a escravidão nos mais diversos níveis. Deus é tido como a justificativa para muitos dos atos mais sórdidos que se possa cometer. Com efeito, a guerra entre católicos e protestantes na Irlanda e entre hindus e islâmicos entre Índia e Paquistão, os abusos cometidos pela igreja romana, o veto da presidente brasileira quanto ao material pedagógico de combate à homofobia  em razão da chantagem da bancada evangélica, tudo isto e muito mais, fizeram-me adotar, cada vez de modo  mais certeiro, um posicionamento secular/materialista em minhas teorias éticas.



Inicialmente o Portal Veritas foi um espaço onde eu poderia escrever meus simples textos sobre Marco Aurélio, o filósofo estóico que estudava na época e que se tornou nosso padroeiro, contribuindo positivamente para a dispersão de conhecimentos sobre um autor tão pouco conhecido. Com o passar do tempo, adentrei no universo dos Cínicos, especialmente Diógenes, o Cão, por sua autonomia e vigor tão incomuns. E, finalmente, concluindo meu itinerário existencial,  desemboquei nos materialistas franceses, principalmente Sade e, recentemente, Michel Onfray. Na publicação Entrevista com Breno Lucano desenvolvo algo de meu pensamento.

Morador do Rio de Janeiro e formado em Enfermagem e Obstetrícia em 2003 pela URFJ, sob o TCC Uso e Abuso de Drogas Pelo Jovem: Um Bem ou Um Mal?, atualmente curso especialização em saúde mental e prossigo em minhas investigações em filosofia, o que me valerá novas aventuras intelectuais no universo de Sócrates num futuro não muito distante.


-----------------------------


Busto de Marco Aurélio
AO DIVINO MARCO AURÉLIO ANTONINO AUGUSTO

Três vezes Cônsul
Sumo Pontífice
Filho de Antonino Pio
Pártico e Armênico
Triunfante na Germânia
Neto de Adriano
Pai da Pátria
Cômodo seu filho
 Faustina sua esposa










Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.