Marsílio Ficino e o Prazer Moderado

por Breno Lucano


Cristianismo e epicurismo: estranha fusão! Alguns tentaram essa que parece ser, a princípio, uma tarefa impossível. Gassendi o fará em 1649 com o Vida e Costumes de Epicuro. A ele se seguiram Lorenzo Valla, Erasmo e Marsílio Ficino.

É curiosa a afirmação de um Ficino epicurista. A historiografia oficial insiste em seu platonismo. Não podemos negar ser Ficino o tradutor dos Diálogos de Platão, das Enéadas de Plotino e de pseudo-Dionísio, além dele próprio ser autor de uma Teologia Platônica em 1482. Contudo, em sua juventude escreve Sobre o Prazer, além de um comentário pessoal sobre De Rerum Natura de Lucrécio. E é neste ponto que Ficino se associa ao Jardim.



Em seus escritos, Ficino não condena o prazer, mas apenas seu uso: quando moderado, é defensável. Determina uma hierarquia nos prazeres, de modo que, quanto maior for a possibilidade de facilitar a meditação e a união com Deus, maior o interesse. Compreende-se que o prazer, longe de ser grave pecado, deve ser praticado pelo cristão enquanto permitir acesso ao divino.

A recepção da pureza platônica e da tranquilidade epicurista devem se aglutinar no filósofo. Assim, Ficino tenta uma releitura da cosmologia, de modo que a teoria dos elementos do Timeu não encontre grandes disparidades com os átomos de Carta a Heródoto.

A Vênus com que Lucrécio inicia seu De Rerum Natura é considerada o princípio vital, o sopro, a causa de toda máquina atômica do mundo e, de modo algum, contradiz o Demiurgo de Platão. A origem das coisas é atribuído a dois nomes distintos, mas que formulam uma mesma potência genésica e cosmológica.

Cristão, certamente. Mas um cristão epicurista. E Ficino passou toda a vida nunca esquecendo de seu antigo texto. É difícil imaginar que outros textos teria redigido caso não fosse constante alvo dos censores da Igreja e dos purificadores do mundo.


Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.