Claudio Pompeano/Pompeiano

Claudius Pompeianus, cônsul, antes de 167 d.C (?) e em 173 d.C.

Senador originário de Antioquia, de família humilde, Tibério Cláudio Pompeano casou-se com a filha de Marco Aurélio, Lucilla, logo após a morte de Vero, em 169. Foi o principal general de Marco na guerra na Germânia e, depois da morte do imperador, tentou persuadir Cômodo a continuar a guerra, mas não obteve sucesso. Quando seu sobrinho se envolveu numa conscpiração contra Cômodo, Cláudio retirou-se da vida pública, alegando problemas de saúde e de visão, mas voltou a Roma quando Cômodo foi assassinado em 192.

Pertinace, de quem fora oficial comandante e patrono, ofereceu-lhe o trono num gesto formal, mas Cláudio sabiamente recusou. Depois do assassinato de Pertinace, Dídio Juliano convidou-o a participar do poder imperial, mas ele recusou de novo.

Foi Cônsul em 173 e em algum momento antes de 167.


Artigo Relacionado:

Marcus Aurelius: Homem, Filósofo e Guerreiro

Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.