Tito Aurélio Antonino e Tito Aélio Aurélio

Tito Aurélio Antonino e Tito Aélio Aurélio (149): filhos de Marco Aurélio

Tito Aurélio Antonino (Antonino) e seu irmão gêmeo Tito Aélio Aurélio (Aélio) são o segundo e terceiro filhos de Marco Aurélio, herdeiro do imperador Antonino Pio, filho de Domítia Faustina.



O nascimento dos dois garotos é lembrado na cunhagem de moedas, com a inscrição temporum felicitas (felicidade neste momento): a continuidade dinástica estava garantida. Contudo, Aélio morre em um ano, e Antonino pouco depois. O testemunho é, novamente, cunhado: são encontradas moedas de Domitia e Antonino; e depois moedas de Domítia sozinha. Essas mortes não lhe foram excepcionais: a mortalidade infantil fora grande nas sociedades pré-industriais. Aélio e Antonino foram depositados no Mausoléu de Adriano.

Antonino deve ter sido o mais velho dos dois, porque Marco Aurélio o toma como sucessor. Seu filho seguinte é chamado Tito Aélio Antonino (nascido e morto em 152); o nascimento dos gêmeos em 162, o mais velho Tito Aurélio Fulvo Antonino, e o mais novo Lúcio Aurélio Cômodo; nasce ainda Marco Anio Vero, o único que não recebe o nome de Antonino.

De acordo com o autor grego Herodiano, que escreveu História do Império Romano, 1.2.1., Marco Aurélio pretendia dar ao seu sucessor o nome de Veríssimo. Esse nome parece ter sido dirigido a Tito Aurélio Antonino, mas – o que é mais provável – o fora para o irmão mais velho de Cômodo.

No fim, Cômodo sucede seu pai, e imediatamente adota o nome de Antonino. Feito soberano, Severo também adota o nome.

_______________

Artigos Relacionaods:








Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.