Tito Aurélio Fulvo Antonino

TITO AURÉLIO FULVO ANTONINO (161 – 165), príncipe romano, irmão gêmeo de Cômodo

Tito Aurélio Fulvo Antonino e Lúcio Aurélio Cômodo nasceram em Lanúvio, em 31 de agosto de 161. Eles são as décima e décima-primeira crianças de Marco Aurélio e sua esposa Faustina. O primeiro foi o mais velho dos dois, porque Marco já havia dado esse nome a um de seus filhos, Tito Aurélio Antonino.



O nascimento dos dois garotos foi comemorado com cunhagem de moedas, e foram lembrados como presságios favoráveis em História Augusta (Cômodo, 1.4). Contudo, o mais velho foi o mais fraco das crianças. Numa carta de Frontão, professor de Marco, é mencionado que Fulvo Antonino tossia, mas que conseguira melhorar.

Em 165, o garoto morre e, em conformidade com a religião romana, é deificado. Enquanto isso, Cômodo era pequeno, e seu irmão mais novo, Anio Vero, falece. Isso faz com que Cômodo suceda seu pai no trono.

Numa inscrição de Several, em Tessalônica, demonstra que o garoto divinizado foi adorado até o terceiro século; seu templo foi transformado na igreja de são Demétrio. Isso foi extraordinário porque muitos cultos a imperadores, imperatrizes e príncipes divinizados foram abolidos pelo imperador Máximo Trácio (235-238). Parece que Divino Fúlvio foi adorado além do círculo do culto à estátua, algo extremamente raro. Ele foi recordado em maio.

De acordo com o autor grego Herodiano, que escreveu História do Império Romano, 1.2.1, Fulvo Antonino recebeu o apelido de Veríssimo.

_______

Artigos Relacionados:








Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.