Trásea Peto

Questor lendo a sentença de morte ao
senador Thrasea Paetus, de Fyodor Bronnikov
Trásea Peto (Thrasea Paetus), dissidente estóico, cónsul em 56 DC


Públio Clódio Trásea Peto foi a personagem mais influente que decidiu tornar público seu descontentamento com o início do principado. Suas origens remontam ao norte da Itália – Pádua -, e Tácito achava que o escândalo provocado nas pequenas cidades pela ida levada em Roma era o principal responsável pelas atitudes intransigentes de homens como Trásea.



Sua atitude independente no Senado – embora sempre em questões controvertidas – colocou muitas vezes Nero contra ele; sua ausência em certas ocasiões, para demonstrar lealdade, tornaram-se cada vez mais óbvias. Em 66 DC foi condenado e recebeu a honra de suicidar-se.



Foi amigo de Pérsio e Vespasiano, companheiro de Demétrio, o Cínico, e genro de Cecina Peto e Arria. Escreveu uma biografia de Catão Uticense e foi, por sua vez, objeto de uma biografia. Sua influência tornou-se especialmente marcante quando o reinado de Domiciano suscitou pressões e simpatias idênticas entre os sobreviventes dessa geração; desse fato deriva o interesse de Tácito.


Artigos Relacionados:


Nero

Cláudio


Calígula

Árria

Helvídio Prisco

Catão de Útica



Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.