Diversas Facetas do Caráter de Zeus

Zeus é uma divindade dada aos amores; seduz deusas e mortais, indiferentemente, e sua prole perfaz uma verdadeira legião. Não poucas famílias reivindicam a glória e a autoridade do deus supremo como pai de sua progênie. Daí ter surgido uma, por assim dizer, mitologia popular desse deus. Ele pertencia a uma sociedade monogânica em que o macho dominava, de sorte que, embora a mentalidade da época tivesse sua moral, os padrões para homens e mulheres eram diferentes. Os amores ilícitos eram possíveis e mesmo aprovados (se não oficialmente sancionados) em se tratando de homens - mas, em circunstância nenhuma, tolerados no caso das mulheres. Desse modo, Zeus tornou-se a imagem glorificada não apenas do pai e esposo, mas também do amante. O número de suas conquistas será, por si só, um tema riquíssimo.



Nessa pintura, o comportamento de Zeus pode parecer amoral ou imoral, e mesmo uma simples referência anedótica: afinal, o deus supremo pode muito bem ficar acima dos padrões convencionais. Outras vezes, ele se comporta de acordo com esses padrões, tendo não raro de enfrentar as arengas ciumentas de sua esposa, Hera, e pagar caro, ao menos indiretamente, o preço de sua promiscuidade.




No entanto, esse mesmo Zeus, adorado em Dodona e Olímpia, é de certa forma o deus únicok que se ocupa da esfera inteira da moralidade tanto para os homens quanto para os imortais. É o guardião severo da justiça e da virtude, fiador das coisas sagradas na ordem moral do universo. Na literatura, o retrato de Zeus depende ora da época, ora da intenção do autor. O conceito de divindade apresenta inúmeras e variadas facetas, às vezes muito complexas.

Conhecemos bem Zeus que reina no céu e "ajuda as nuvens", segundo a epopéia. A raíz de seu nome significa "brilhante". Seus atributos são o trovão e o raio, que em muitas representações ele aparece prestes a desferir. Nelas, vemo-lo na força da idade, usualmente barbado e empunhando a égide - palavra que quer dizer "pele de bode" e designava no princípio apenas o manto do pastor. Para Zeus, todavia, é um maravilhoso escudo, com miraculosos poderes protetores. A águia majestodosa e o nodoso carvalho lhe eram dedicados.



PEIXOTO, Paulo Matos. Mitologia Grega. Germape: São Paulo, 2003. p. 44-45 

Filósofo por paixão. Ex-seminarista da Ordem dos Franciscanos. Humanista. Áreas de interesse: Cinismo; materialismo francês; Sade; Michel Onfray; ética. Idealizador e escritor do Portal Veritas desde dez/2005.